segunda-feira, 22 de abril de 2013

RODOLPHO HAACK E O PRESIDENTE GETÚLIO VARGAS


Numa bela tarde de verão em Petrópolis, o presidente Getúlio Vargas passeava pela Avenida 15 de Novembro, atual Rua do Imperador com seu jeito peculiar de cruzar as mãos nas costas, e fez uma parada em frente ao antigo cinema Capitólio, para admirar a paisagem e conversas com as pessoas que passavam pela calçada.
 Rodolpho Haack fotógrafo e proprietário de um estabelecimento de ótica na mesma rua do cinema viu o então presidente da república parado diante do Capitólio e não perdeu tempo, pegou sua maquina fotográfica se posicionou em frente ao cinema, na beira do rio Quitandinha, focalizou Getúlio e bateu a foto.
 Mais tarde, Haack fez uma ampliação da foto e colocou em exposição na vitrine de sua loja, rapidamente uma multidão se aglomerou em frente “A Óptica”. Mas como uma simples foto fez surgir aquele aglomerado de gente a sua porta? Simples, nessa ocasião estava em cartaz o filme: “O Ladrão Romântico” no Cinema Capitólio, e esse título fez fundo na fotografia de Getúlio. Esse foi o motivo para o tal aglomerado.
 Logo, a notícia da foto do “ladrão romântico”, chegou ao ouvido da Segurança de Vargas, que imediatamente foi averiguar o fato. Sem que o fotógrafo pudesse dar explicações, foi preso e conduzido para cadeia de Niterói, incomunicável.
 Quando Vargas sobe da prisão e do motivo, mandou libertar imediatamente Haack e foi conversar com o autor da foto. Partir desse momento estava selada a amizade entre “o velho Haack”- como era carinhosamente chamado pelo amigos -  e Getúlio Vargas. Passando ser o fotógrafo “oficial” do presidente enquanto Vargas passava o verão aqui em Petrópolis.
 Rodolpho Haack muitas vezes foi visto ao lado de Getúlio, enquanto esse fazia caminhada pelas ruas do centro da cidade, Getúlio chegava até pedir conselhos a seu fiel fotógrafo sobre decisões a ser tomadas em relação a Nação.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário